A evolução do cenário feminino de Free Fire

Conversamos com as meninas da Hummer e da Trem10, destaques da Taça da Patroa, sobre o crescimento e a força do cenário feminino de Free Fire

A Taça da Patroa marcou história. O primeiro campeonato totalmente feminino organizado pela Garena mostrou a força delas no Free Fire. Mas sua importância vai além, e é o primeiro exemplo da evolução do cenário feminino, que tem tudo para se tornar gigante.

Conversamos com as duas melhores equipes da competição que celebrou a chegada da Anitta ao Free Fire, Hummer Esports e Trem10, sobre o cenário feminino, o futuro e o que representa ter participado da Corrida do Milhão.


Para as meninas da Hummer Esports, a Taça da Patroa “foi uma porta que se abriu. Durante muito tempo, o cenário feminino foi o menos valorizado dentro do Free Fire, e esse ano vimos bastante mudanças positivas – se continuar da maneira que está indo, veremos um avanço enorme, algo que já esperávamos há muito tempo.”

Já a Trem10 quer mais. Além da sensação de inclusão que a Taça da Patroa trouxe e da chance de mostrar que o topo também é lugar delas, “esperamos daqui pra frente mais oportunidades como essa. Que o cenário se una cada vez mais e não existam divisões”.

Com o resultado, as duas equipes garantiram uma vaga na concorrida Corrida do Milhão. Em um cenário majoritariamente masculino, não é tarefa fácil ser o rosto da renovação. “Pesa um pouco, mas nada que abale o nosso psicológico. Todas nós viemos de cenários mistos, e sabemos as dificuldades que teremos que enfrentar. Independente dos resultados, estamos trabalhando para dar nosso máximo”, diz a Hummer Esports. 

“Queríamos trazer a visibilidade das meninas desse cenário. Estar na C.O.P.A. FF e poder mostrar que também somos capazes só deixa claro que estamos no caminho certo”, complementa a Trem10.

O desafio na Corrida do Milhão não foi simples. Afinal, são as melhores equipes do país disputando um prêmio tentador. Mas além de surpreender a comunidade, o foco também foi ganhar visibilidade. “Queremos trazer visibilidade pro nosso cenário, mostrar que também estamos ali querendo oportunidades e mostrando que nossa comunidade existe. Esse é nosso foco”, revelam as meninas da Trem10.

E elas mostraram que têm talento de sobra para competir lado a lado com os maiores nomes do Free Fire brasileiro. Os resultados podem até não ser os melhores, mas deixam claro que, com treinamento, dedicação e, acima de tudo, incentivo, o futuro pode ser brilhante. Esse pode ser apenas o começo.


C.O.P.A. FF

Com o tema Corrida do Milhão, a nova edição da C.O.P.A. FF teve início no dia 21 de junho e terá sua final no dia 2 de julho. O torneio tem transmissão na tv aberta, pela RedeTV! aos sábados e domingos, durante a fase classificatória, além dos canais oficiais no YouTube, na BOOYAH!, e no TikTok, durante os dias de semana.

Foram 24 equipes na disputa pelo prêmio de um milhão de reais. No torneio, os 18 times classificados para a série A da LBFF 8 foram chamados junto a outras quatro equipes convidadas, – Nhanha e Divinéia (vencedores do Taça da Favela FF), e Los baianos e Inco Gaming (campeão e vice da LBFF Série C). As equipes campeã e vice da Taça da Patroa fecharam a lista de convidados.

Além da premiação, os jogadores também concorrem aos títulos de MVP. Um deles, disputado apenas entre os jogadores de times classificados para a Série A da LBFF 8 e o outro, entre os competidores dos times convidados.

Para mais informações de Free Fire, acompanhe as redes sociais oficiais de esports no FacebookInstagramTwitter e TikTok.

Categorias: C.O.P.A. Free Fire, Destaques, Free Fire, Taça da Patroa
Tags: ,