“Foi a realização de um sonho” – Modestia, da Vivo Keyd

Conversamos com Matheus "Modestia" sobre as dificuldades de Sentosa, o que significou representar o Brasil e o futuro da Vivo Keyd

A trajetória recente da Vivo Keyd no cenário de Free Fire impressiona. Nas últimas três temporadas da Liga Brasileira, um título e dois vice-campeonatos. E muito desse retrospecto se deve à Modestia, peça-chave entre os Guerreiros desde o início de 2021. 

Para Matheus “Modestia” Rodrigues, além de uma recompensa pelos resultados recentes, estar no FFWS 2022 foi uma realização pessoal inimaginável. Conversamos com o jogador sobre as dificuldades de Sentosa, como foi representar o Brasil e o futuro da Vivo Keyd no cenário nacional.


Desacreditada. Era assim que a Vivo Keyd chegava na final da última edição da LBFF. Mas essa alcunha nunca valeu para Modestia: “Acho que nosso time é um pouco subestimado. Independente da nossa trajetória, dos nossos resultados, algumas pessoas nos subestimam bastante. Para a gente, não foi novidade termos ficado em segundo lugar na sétima temporada”, revela.

“A gente vinha de um título nacional e um vice-campeonato. Em nenhum momento deixamos de acreditar, por mais que tivéssemos terminado em 12º lugar nas classificatórias. Sabíamos que na final as pontuações iriam zerar, por mais que tivessem os pontos bônus – nós sabíamos que não seria fácil, mas é algo que já estamos acostumados. Sempre surpreendemos nas finais”, completa.

Dito e feito. Embora o dia decisivo não tenha começado muito bem para a equipe, as quatro últimas quedas foram praticamente impecáveis e, de forma surpreendente – algo que é comum para os Guerreiros – eles conseguiram mais um vice-campeonato. Um resultado até distante do título quando consideramos o domínio absoluto da LOUD, mas que garantiu uma vaga no tão sonhado FFWS 2022.

Modestia - Vivo Keyd

Representar o país e viver a experiência de disputar um mundial era algo que até pouco tempo Modestia sequer imaginava. Mesmo que o resultado “não tenha saído como o esperado”, o feito foi algo nada menos do que incrível. “Para mim estar em Sentosa é uma coisa surreal, é a realização de um sonho. Eu não imaginava que coisas assim aconteceriam tão rápido na minha vida. Eu sempre quis representar o Brasil e, pra mim, isso aqui foi a realização de um sonho. Não estou contente com o resultado, não estou feliz. Mas saímos de cabeça erguida – com certeza nós viremos mais preparados na próxima.”

O segundo lugar na etapa classificatória e o quarto na decisão podem até ficar abaixo do esperado pela Vivo Keyd, mas é preciso considerar as dificuldades enfrentadas em Sentosa, que não foram poucas: “Aqui, as coisas são muito diferentes: alimentação é diferente, horários são diferentes, estilos de jogo de todos os times são diferentes”.

Além disso – e talvez o que mais tenha prejudicado o desempenho dos brasileiros – as dificuldades nos treinamentos foram incontáveis: “A gente não conseguiu treinar praticamente nada aqui, porque os treinos são bem várzea, os times daqui jogam de qualquer jeito e jogam somente entre eles. Os tailandeses, por exemplo, que ficaram com os dois primeiros lugares, conseguem treinar com os times da região deles com o ping tranquilo, a gente não – isso é uma vantagem para eles. Passamos a maior parte do tempo fazendo coisas teóricas porque não tínhamos como praticar. Fica de experiência”, desabafa Matheus.

Já dentro dos servidores, por mais que os tailandeses fossem – justificadamente – temidos, os Guerreiros sempre mantiveram a cabeça erguida e sempre souberam da própria capacidade. Modestia revelou que, dentro do jogo, todo mundo é igual e “tem que bater de frente com quem for”. 

A experiência do mundial vai além da realização de um sonho. A Vivo Keyd deve trazer muita coisa em sua “bagagem” de Sentosa e, segundo Modestia, depois de colocar a cabeça no lugar, descansar e passar um tempo com a família, é hora de testar novidades na Copa F.F., que começa em junho: “Conseguimos adquirir uma experiência muito boa aqui. Não só na prática do jogo, mas também fora. Vamos vir muitos preparados para a Copa F.F. Não sei se teremos mudanças no time, não sei como as coisas vão acontecer. Agora é descansar e colocar a cabeça no lugar.”


Para mais informações sobre a LBFF e a C.O.P.A. FF, acompanhe as redes sociais de esports no Facebook, Instagram, Twitter e TikTok.

O Free Fire e o Free Fire MAX podem ser baixados nas lojas da Apple iOS e na Google Play Store:

Categorias: Destaques, FFWS, Free Fire
Tags: ,