Os detalhes do titulo mundial da Attack All Around

Equipe tailandesa supera grande rival por apenas um ponto e é a nova campeã do FFWS 2022 Sentosa

As seis quedas que definiram o grande campeão do FFWS 2022 Sentosa aconteceram na fria manhã deste sábado (21) e mostraram, mais uma vez, a temida força tailandesa. Dessa vez, a Attack All Around superou seus rivais locais, a EVOS Phoenix, para levantar o troféu mais icônico do Free Fire e se tornar a nova campeã mundial da modalidade. 

Os brasileiros começaram as disputas pelo título com o pé direito, com a Vivo Keyd garantindo um Booyah e a LOUD mostrando agressividade e garantindo um excelente número de abates. Mas logo as representantes da Tailândia assumiram o controle da competição e terminaram com os dois lugares mais altos do pódio de Sentosa.

A VastoMundo, única representante europeia na competição, terminou com a terceira colocação, 17 pontos atrás da campeã. Já os Guerreiros ficaram com a quarta colocação e a LOUD com o sétimo lugar.

Confira um breve resumo das seis quedas.

Queda 1 – Bermuda
BOOYAH:Vivo Keyd

Logo no início da primeira queda, a LOUD se dividiu em duplas e fez um avanço inesperado e calculado, se envolvendo em trocações preocupantes, mas garantindo tanto a primeira eliminação quanto o primeiro squad wipe de Sentosa sobre a vietnamita Team Flash.

A Vivo Keyd se concentrou nas rotações e foi aos poucos garantindo espaço na zona segura. A estratégia já é característica dos Guerreiros, que costumam priorizar as vitórias em cada queda, e não um alto número de abates.

A LOUD voltou a protagonizar trocações intensas, dessa vez contra a Mineros e a poderosa EVOS Phoenix. A Mineros rapidamente caiu, e o confronto contra a Phoenix era inevitável – mas não tem campeão mundial que resista ao talento e experiência de um gênio chamado Kroonos. Logo em seguida, os brasileiros acabaram eliminados pela Triple A, mas souberam impor seu jogo agressivo e começar bem as disputas pelo título.

Já dentro da zona segura, a Vivo Keyd apenas esperava seus adversários para lutar pelo primeiro Booyah. Tudo estava nas mãos de Nando e General, que garantiram o primeiro abate da equipe apenas aos 16 minutos e, logo na sequência, superaram a Attack All Around com um verdadeiro show e garantiram o primeiro Booyah do mundial. O Brasil cravou sua bandeira em Sentosa.

Queda 2 – Kalahari
BOOYAH:  EVOS Phoenix

ECHO e Attack All Around não esperaram os paraquedas fecharem para começar as primeiras trocações de Kalahari. A Triple A, líder momentânea, garantiu logo três abates e já começava a despontar como uma das favoritas ao título.

Pouco depois, a Attack All Around caiu nas mãos da poderosa Vivo Keyd. General e Nando garantiram dois abates com resquícios de crueldade e colocaram os Guerreiros em vantagem. 

Do outro lado de Kalahari, a LOUD tinha uma séria desvantagem de posicionamento, mas gelo por gelo, cover por cover, fez um avanço quase perfeito sobre a Mineros e colocou os Hermanos no chão em um confronto nada menos do que épico, um confronto decidido pelo experiente Lost –  que infelizmente não resistiu muito tempo e acabou sucumbindo nas mãos da Phoenix.

Já nossos Guerreiros conseguiram um bom posicionamento, mas não esperavam a genialidade dos campeões mundiais e foram eliminados na quinta colocação, com cinco abates.

O Booyah caiu no colo da EVOS Phoenix, que encontrou um excelente ritmo na segunda queda do dia e voltou a mostrar aquele desempenho visto em Singapura: Booyah e 18 abates.

Queda 3 – Purgatório
BOOYAH:  EVOS Phoenix

Purgatório não começou gentil com os brasileiros. Os Guerreiros se estranharam logo no início da queda com a poderosa V-Gaming, e General até tentou fazer história e trazer seus companheiros de volta, mas rapidamente deu adeus à quaisquer resquícios de esperança.

Por outro lado, a LOUD conseguiu boas rotações e começou a cobrar alguns adversários e garantir bons abates. A Farang entrou para as estatísticas brasileiras enquanto outro confronto contra os atuais campeões mundiais se desenhava.

Mas a EVOS Phoenix não defendia o título por sorte ou coincidência. Com maestria, a equipe rapidamente eliminou os últimos brasileiros e chegou para disputar o Booyah em desvantagem numérica.

E nessas horas eles impressionam. Mesmo com a desvantagem numérica, a dupla da Phoenix protagonizou um milagre e virou o jogo contra os vietnamitas, garantiu o Booyah e impôs respeito ao assumir a liderança isolada.

Queda 4 – Bermuda
BOOYAH: Attack All Around

Dessa vez, quem não se deu muito bem no início da queda foi a LOUD, que perdeu rapidamente Kroonos e Noda, vítimas da poderosa Phoenix. Logo os jogadores voltaram para o servidor, mas a força tailandesa impressionava.

A LOUD sofreu em Bermuda. Na tentativa de entrar na zona segura, a equipe brasileira se encontrou frente a frente com a Divine e não resistiu à pressão dos indonésios. Pouco depois, a Vivo Keyd ficou em péssima situação e passou a depender de um milagre de Nando, que caiu na sexta posição.

Divine e Phoenix fizeram um EVOS duelo na tentativa de entrar na zona segura decisiva. Do outro lado, Attack All Around e Wask também lutavam por um lugar ao sol. 

A disputa pelo Booyah ficou entre Attack All Around e Team Flash, que tentava se recuperar na decisão. Mas os tailandeses tinham vantagem numérica e colocaram o Booyah na conta para tornar a disputa pelo título uma disputa entre eternos rivais.

Queda 5 – Kalahari
BOOYAH:
 VastoMundo

A LOUD resolveu caçar os líderes do campeonato – a essa altura, somente buscar a vitória não era o suficiente, era preciso eliminá-los. Mas os brasileiros rapidamente se tornaram vítimas da força tailandesa e ficaram em situação complicada, dependendo de um pequeno milagre para manter as esperanças. A Vivo Keyd também chegou na briga, mas precisou recuar rapidamente para manter o sonho vivo.

O primeiro grande confronto da queda foi protagonizado pelos Guerreiros, que não tomaram conhecimento da ECHO e garantiram um squad wipe nada menos do que esplendoroso.

Enquanto as equipes disputavam espaço na zona segura, a Vivo Keyd continuou sua onda de matança. Attack All Around e EVOS Phoenix foram punidas por Nando e DeadGOD, e os brasileiros garantiram um excelente posicionamento na zona segura para brigar pela dobradinha. 

Já a LOUD caiu cedo, dando adeus à Kalahari e às chances de título. Mas os Guerreiros também eram Brasil em Sentosa e não pararam de colecionar vítimas, chegaram aos oito abates e até sonharam com o Booyah, mas pararam nas balas da VastoMundo, única representante europeia na competição.

Queda 6 – Purgatório
BOOYAH:
Vivo Keyd

O primeiro abate da queda decisiva foi da Wask sobre a V-Gaming, um duelo que não influenciava diretamente na briga pelo título e nem nas chances brasileiras.

A decisão ganhou ares dramáticos. Mesmo sem chances de título, os brasileiros queriam  mudar a história em Sentosa. E conseguiram: a LOUD protagonizou uma trocação decisiva contra a EVOS Phoenix e superou os até então campeões mundiais, abrindo caminho para o título da Attack All Around.

Do outro lado, a Vivo Keyd mantinha o improvável sonho vivo e conseguiu um belíssimo squad wipe sobre a Team Flash. E para finalizar com chave de ouro, os Guerreiros encerraram a participação brasileira com outro Booyah, com a dobradinha e alcançando a quarta colocação geral. 

Classificação

A classificação final do FFWS 2022 Sentosa ficou assim:

final-ffws-attack-all-around

A final aconteceu neste sábado (21), com transmissão nos canais oficiais no YouTube (Free Fire e Esports), na BOOYAH!, plataforma de streaming da Garena, no canal de TV a cabo SPACE e na RedeTV!. 

Para mais informações de Free Fire, acompanhe as redes sociais oficiais de esports no Facebook, Instagram, Twitter e TikTok.

Free Fire pode ser baixado pela App Store e Google PlayStore.

Categorias: Destaques, FFWS, Internacional
Tags: