#LBFF 7 – O título que faltava para a LOUD

A LBFF tem um novo dono. A LOUD chegou como favorita e levantou o título que ainda faltava em sua estante; Vivo Keyd é vice e está no Mundial

Foram nove semanas de Fase de Grupos, várias reviravoltas e um desfecho. Depois de uma campanha de recuperação memorável, a LOUD, que passou algumas rodadas até mesmo fora da zona de classificação e de repente se tornou a maior força da temporada, finalmente levantou o título que faltava. O título de campeã da LBFF.

Com um desempenho sem precedentes em uma decisão, a LOUD garantiu uma dobradinha, 60 abates e chegou aos 137 pontos para levantar o troféu mais importante do cenário nacional e garantir uma vaga direta na final do Mundial.

Quem também merece aplausos é a Vivo Keyd. Campeões da quinta temporada e vice-campeões na sexta, os Guerreiros começaram mal na decisão, mas mostraram força, garantiram três Booyahs, dois deles nas duas últimas quedas do dia, 57 abates e chegaram aos 111 pontos para garantir mais um vice. O resultado finalmente coloca a equipe em um Mundial, na fase play-in do FFWS 2022 Sentosa, que acontece em maio.

Conheça a Seleção da LBFF 7 e os MVPs e a Revelação da temporada. Confira um breve resumo das nove quedas que decidiram a temporada.


Queda 1 – Purgatório

BOOYAH: LOUD (29 pontos)
MVP: Cauan (7 abates)

Pega a visão: A Magic Squad liderou Purgatório em Pontos (415), abates (190) e Booyahs (7)

O primeiro abate da Grande Final veio apenas aos sete minutos em Purgatório, quando a LOUD se aproveitou do confronto entre Meta Gaming e BD Vasco para eliminar Cauê e começar a decisão com o pé direito. A Equipe do Hype não parou e levou um dos jogadores do Dragão da Colina e dois do Corinthians, que tentava espreitar o confronto. Já o primeiro squad wipe também saiu dessa confusão toda: inspirado, Hender não sentiu a pressão de sua primeira final presencial e garantiu logo três abates sobre a Meta Gaming. O Corinthians também não resistiu muito tempo e deu adeus à primeira queda da decisão.

Do outro lado do mapa, o Fluxo também começou bem e garantiu excelentes abates. LOUD e Fluxo não tomaram conhecimento dos adversários e chegaram na zona segura com grande chances de Booyah. Mas o Fluxo foi prejudicado em sua rotação e caiu na quarta colocação, deixando a decisão na mão da estratégica GOD Unidas, que soube evitar confrontos, LOUD e Team Liquid.

No entanto, a LOUD estava implacável. Não havia um adversário à altura. 17 abates e um show de Cauan. 29 pontos logo na abertura da Grande Final.


Queda 2 – Kalahari

BOOYAH: Magic Squad (22 pontos)
MVP: Lost21 (5 abates)

A Meta Gaming liderou Kalahari em pontos (395), abates (177) e Booyahs (9).

As coisas demoraram a esquentar na segunda queda do dia e o primeiro duelo em Kalahari veio somente aos nove minutos, e foi entre campeãs. Team Liquid e Vivo Keyd fizeram um confronto honesto e os Guerreiros garantiram um lindo squad wipe. DeadGOD brilhou com seu lança e colocou os campeões da quinta temporada na frente no mapa mais quente do Free Fire.

Muitas trocações marcaram Kalahari. Já no caminho para a disputa pelo Booyah, GOD Unidas e Magic Squad, que passou por cima da Meta Gaming para avançar para a zona segura, chegaram para brigar pela vitória. Além disso, um valente Lost21 tentava um milagre, garantiu alguns abates sobre os Deuses e sonhou até parar nas mãos mágicas dos estreantes.


Queda 3 – Bermuda

BOOYAH: Magic Squad (22 pontos)
MVP: Hender, Easy e Gus (4 abates)

Gus não esperou nem cinco minutos em Bermuda para garantir o first blood sobre Trap, o jogador revelação da LBFF 7. Pouco depois, os Bastardos deram de cara com o Cruzeiro em uma trocação que movimentou as coisas no mapa mais clássico do Free Fire – mas sem wipes.

Bermuda foi estudada. As equipes evitavam trocações desnecessárias e se preocupavam mais em garantir rotações seguras. Riverside ficou pequena para tantos confrontos. Magis Squad e Fluxo fizeram o duelo mais intenso da entrada na safe e, mesmo depois de um Booyah, a magia continuava no ar.

O BD Vasco tinha a melhor posição para buscar a vitória. Do centro da ponte, o Dragão da Colina precisava apenas punir seus adversários de longe: Vivo Keyd, LOUD e Corinthians viraram apenas estatísticas. A disputa final foi contra o Magic Squad e foi decidida no kit médico; mas a magia continuava solta: primeira dobradinha da decisão.


Queda 4 – Purgatório

BOOYAH: GOD Unidas (24 pontos)
MVP:
Rigby245 (6 abates)

Pega a visão: todos os líderes de abates das finais anteriores estão na final dessa LBFF.

O primeiro confronto da quarta queda decisiva foi rápido e com resquícios de crueldade. A Los Grandes passou sem dificuldades por cima dos Bastardos, que se afastavam cada vez mais das chances de um bicampeonato. Logo em seguida, a Onda Laranja sofreu nas mãos do Cruzeiro, mas Gus conseguiu escapar para tentar colocar seus companheiros em jogo novamente.

Pouco depois, a GOD Unidas encurtou a distância sobre a Team Liquid e complicou a vida da Cavalaria. Os confrontos não cessaram mais. A Meta Gaming passou por cima do BD Vasco para entrar na zona segura e, logo depois, não tomou conhecimento da LOUD para garantir seu segundo squad wipe.

A disputa pelo Booyah ficou entre os Deuses, sempre bem posicionados, e o Magic Squad, que fez rotações atrasadas e conseguiu cobrar seus adversários. Mas a magia foi interrompida pela divindade. Favorita, a GOD só precisava eliminar o que restou de Cruzeiro e Corinthians, que já estavam desfalcados e não eram mais ameaças. Olimpo em festa.


Queda 5 – Kalahari

BOOYAH: Vivo Keyd (22 pontos)
MVP: General e Fac (4 abates)

Todos os líderes de abates das finais anteriores estão na final dessa LBFF.

Kalahari dessa vez não demorou muito para começar. O primeiro time a voltar pro lobby foi o BD Vasco, que caiu nas mãos do Cruzeiro. Logo em seguida, o Fluxo garantiu o squad wipe sobre a GOD Unidas, que acabava de chegar de um Booyah.

Depois de dominar a queda em abates, com Fac apresentando um Free Fire primoroso, Kalahari foi decidida em um confronto interessante entre três times: Vivo Keyd, Corinthians e Meta Gaming. Os Guerreiros cuidaram do Timão enquanto faziam sua entrada na zona segura decisiva, onde a Meta esperava paciente. Mas não havia quem parasse os campeões da quinta temporada.


Queda 6 – Bermuda

BOOYAH: LOUD (24 pontos)
MVP:
Lost21 e Ousado (4 abates)

Pega a visão: Gus é o primeiro jogador da história da Los Grandes a fazer parte de uma Seleção LBFF. Já a atual campeã, a B4, é o time com mais nomes eleitos para a Seleção: cinco jogadores.

O primeiro squad wipe da segunda passagem por Bermuda demorou, mas pode ter sido decisivo para a competição. O Cabuloso avançou sobre os atuais campeões nacionais e passaram por cima; a B4 sequer conseguiu anotar a placa.

A LOUD voltou a dominar a queda. Com um excelente posicionamento na zona segura, apenas Fluxo e Corinthians ofereciam resistência. O Fluxo rapidamente eliminou o Timão, e o confronto entre os dois últimos representantes nacionais no mundial foi uma coisa linda de se ver. Mas é dia de fazer o L.


Queda 7 – Purgatório

BOOYAH: Cruzeiro (30 pontos)
MVP:
R7 e Trap (6 abates)

Pega a visão: Lost21 foi o jogador que mais matou em uma única queda de final de LBFF: 11 abates.

As balas de Nando9 começaram a cruzar Forge e o suporte da Vivo Keyd colocou a Meta Gaming em situação delicada. Cauê tentou resistir, mas os Guerreiros fizeram um avanço preciso e garantiram um belo squad wipe. Logo em seguida, Trap justificou o posto de Revelação da temporada e colocou os Deuses em apuros.

As trocações ficaram quentes. LOUD e Magic Squad ameaçavam uma disputa que poderia valer o título, enquanto o BD Vasco era vítima Los Grandes. A Onda Laranja ainda mandou os Guerreiros de volta pro lobby antes de ser eliminada.

A disputa pelo Booyah ganhou ares dramáticos. O Fluxo conseguiu um bom posicionamento e eliminou a poderosa Cavalaria. Já no centro da zona segura, o Cruzeiro colecionava abates, colocou Corinthians no bolso e chegava como favorito na última rotação de mapas da sétima temporada. A LOUD tentou, mas era uma hora Cabulosa. 18 abates. 30 pontos. Recorde. Final aberta.


Queda 8 – Kalahari

BOOYAH: Vivo Keyd (18 pontos)
MVP: But e MTS (4 abates)

Chegou a hora das quebras de call. O Magic Squad foi contestado pelo Fluxo e tentou entrar em Refinaria, mas foi rapidamente afastada pela poderosa B4, que mesmo sem chances de título não queria vender fácil a trocação.

O Cruzeiro chegou empolgado em Kalahari. Depois de um Booyah com direito à recorde, o Cabuloso mandou o Dragão da Colina ir descansar mais cedo e já começar a pensar na oitava temporada. Mas a Raposa saiu desgastada do confronto e caiu nas mãos da sempre impiedosa Cavalaria.

A Team Liquid ainda eliminou a LOUD, líder no momento, antes de tentar entrar na zona segura e ser punida pelo Fluxo, que tinha o camarote em Posto de Comando. Os campeões da quarta temporada souberam aproveitar o posicionamento privilegiado e puniram as tentativas adversárias de entrar na safe, mas teve o sonho interrompido pela Onda Laranja.

Los Grandes de um lado, Vivo Keyd de outro. O confronto pelo Booyah estava completamente aberto, Modestia assumiu uma postura agressiva e se movimentou com perfeição, enquanto DeadGOD marcava os adversários para garantir a dobradinha para os Guerreiros.


Queda 9 – Bermuda

BOOYAH: Vivo Keyd (29 pontos)
MVP:
DeadGOD (6 abates)

Última queda da sétima temporada da LBFF. O título da LOUD já estava praticamente garantido e a disputa era pela segunda vaga para o Mundial. Logo no início, o Cruzeiro caiu nas mãos da Meta Gaming, mas Trap fez um milagre e conseguiu colocar dois parceiros de volta na queda. Logo em seguida, se desenhava uma briga que valia vaga para o play-in: Fluxo e Magic Squad se encontraram nas periferias de Bermuda, mas logo desistiram da trocação.

Já com o título nas mãos, a LOUD mandou a Meta Gaming de volta pro lobby, mas acabou perdendo todos os seus jogadores no processo e começou a comemorar. Do outro lado do mapa, a Vivo Keyd tentava um milagre e buscava uma classificação que seria impressionante. Começaram a colecionar abates e a escrever história – cada morte conta.

Os Guerreiros chegaram na zona segura em grande forma. Queriam a vaga. A GOD Unidas virou estatística, Fluxo lutou, mas era hora dos Guerreiros impressionarem. Era a hora de um dos milagres da LBFF.

Classificação

A classificação da Grande Final da sétima temporada da Liga Brasileira de Free Fire ficou assim:

classificação-final-lbff-7-loud-vivo-keyd

Confira os detalhes do título da paiN Gaming na Série B da LBFF 7


E a Liga Brasileira de Free Fire ainda não acabou. No próximo sábado, dia 23 de abril, acontece o temido Grupo de Acesso, que decide os quatro últimos participantes da LBFF 8.

Com rodadas triplas transmitidas em TV aberta e fechada, a série A da LBFF 7 aconteceu aos sábados e domingos sempre às 13h (horário de Brasília) com exibição na RedeTV! (TV aberta) e às segundas-feiras, às 20h (horário de Brasília) com exibição no SPACE (TV fechada), além do YouTubeBOOYAH e TikTok.

Acompanhe a LBFF ao vivo no canal oficial de Esports no YouTube e nos perfis no TikTokFacebookInstagram e Twitter, siga a hashtag oficial #LBFF e fique ligado em nosso site oficial.

Free Fire pode ser baixado pela App Store e Google PlayStore.

Categorias: Destaques, Free Fire, LBFF, Série A
Tags: , , ,