machado-b4-lbff-6

“O foco é ser campeão, não buscar marcos históricos”, diz Machado, Técnico da B4

Conversamos com Machado, técnico da B4, sobre recordes, mudanças na equipe e trabalho a longo prazo e, claro, o foco no título da LBFF 6.

Uma das equipes mais tradicionais do cenário nacional de Free Fire. Sempre considerada como uma das grandes favoritas aos títulos que disputa. E na sexta temporada, os Bastardos vêm fazendo jus às expectativas, liderando a competição e estabelecendo recordes. Conversamos com Machado, técnico por trás da trajetória de sucesso da B4 e um dos grandes responsáveis pelo desempenho que vem garantindo o topo da tabela.


Antes de mais nada, precisamos falar sobre o recorde estabelecido pela B4. Os quatro Booyahs! conquistados no dia 12 de setembro, nas disputas válidas pela sexta rodada da LBFF 6, é um feito único e que escreve o nome da equipe na história da competição. Machado não desmerece o feito, mas deixa claro que quer entrar pra história de uma forma um pouco diferente:

B4 Machado: Foi gratificante. Principalmente pra mim, que trabalho desde a LBFF1, e nunca presenciei o marco de tantos Booyahs! em uma rodada. Mas o foco é ser campeão, não buscar marcos históricos durante a fase classificatória.

O caminho para o título não é nada fácil, ainda mais na competição que provavelmente é a mais equilibrada do mundo. Mas a B4 vem mostrando todo seu potencial e, atualmente, é a segunda equipe com o maior número de abates (142), atrás apenas da LOUD. Segundo Machado, o segredo é a inteligência da equipe na hora de escolher as trocações:

B4 Machado: Nós temos um dos maiores números de abates jogando com inteligência. Somos agressivos somente nos momentos necessários e treinando muito isso no dia a dia.

“O foco é ser campeão, não buscar marcos históricos durante a fase classificatória.”

Machado, coach da B4

Um dos diferenciais é o trabalho a longo prazo, o que pode ser abordado em várias frentes. Free Fire sofre muitas variações em seu meta, e o que funciona em um split nem sempre funciona no outro. Além disso, a B4 surpreendeu entre a quarta e quinta temporada com a contratação da dupla Ruan e Lobato, que vinham apresentando bons resultados no Santos. Ruan foi eleito o MVP da LBFF 4 e dispensa apresentações, já Lobato é um capitão de ofício que vem em constante evolução. Os resultados não vieram imediatamente – os Bastardos conseguiram apenas a sexta colocação na Grande Final da LBFF 5. Ainda assim, Machado teve a confiança da organização e de seus jogadores para implementar um trabalho duradouro, algo vital para a campanha atual.

B4 Machado: Contratamos um capitão – algo que faltava no time – que vem evoluindo em todos os splits que está jogando e está sempre bem no ranking de abates, que é o Lobato. E contratamos o MVP da LBFF, Ruan, que também vem evoluindo muito. Ambos jogavam juntos há um tempo, então já havia entrosamento. Adaptamos meu trabalho junto ao deles e começamos a evoluir mais ainda. Sobre o meta, no split passado foi muito difícil a adaptação. Porém, estamos trabalhando desde lá pra “abraçar” nossos pontos fortes e isso tem sido um diferencial na evolução.

Yago, Ruan e Lobato, da B4 – Fotos: Bruno Alvares & Jéssica Liar

Com um elenco recheado de estrelas, a notícia da saída de R7 para o Bonde, nova equipe de Level Up, foi sentida na organização e trouxe a seguinte dúvida: quem poderia substituir um dos grandes nomes da B4? Prozin, um dos responsáveis pela classificação da AmazonCripz para a Série A, entrou na mira dos Bastardos e se juntou ao time para tentar fazer história.

B4 Machado: R7 é um dos melhores granadeiros e jogadores com arma AR que conheço, e com certeza não queríamos perdê-lo. Não sei falar muito sobre o impacto que isso causou, porque o time se adaptou rápido com outra peça importante que chegou: Prozin é um jogador que vem em evolução em todos os campeonatos que jogou, desde os primeiros splits das séries B e também nos campeonatos amadores da época. A chegada dele na Série A e no nosso elenco foi importante por ser um jogador calmo e muito bom em sua função. Ele já tinha elementos de um jogador de alto nível há um bom tempo, e agora está aí pra se desenvolver e provar – confiamos muito no potencial dele.

Prozin, contratação da B4 para a LBFF 6 – Fotos: Bruno Alvares & Jéssica Liar

Mas nem só de grandes contratações vive uma equipe na Liga Brasileira. A base é fundamental não só para os times, mas para o crescimento do cenário. A B4 apostou em dois jogadores que já vinham trabalhando com o elenco e que se adaptaram perfeitamente, João e Lapa.

B4 Machado: Eles (João e Lapa) são jogadores que trabalham há muito tempo em um time de base que a B4 tinha. Assim, eles já jogavam às vezes com os jogadores e também já trabalhavam comigo, e foi mais fácil adaptar no elenco. Porém, ainda temos muito trabalho pela frente.


Ainda é cedo para dizer se a B4 finalmente levantará um troféu da LBFF, mas a equipe demonstra estar no caminho certo para a conquista. Os Bastardos lideram a competição com 333 pontos, 15 a mais que a LOUD, que vem forte na vice-liderança.

Para conferir se o elenco comandado por Machado irá manter o alto nível, fique ligado nas próximas rodadas da LBFF 6, com transmissões simultâneas no YouTubeBOOYAH e também no Facebook. Confira também o Boletim do último final de semana da Série A da LBFF 6.

Agora os fãs podem acompanhar a LBFF pelo perfil no TikTok, além dos perfis no FacebookInstagram Twitter. Clique aqui para acessar as fotos oficiais da competição e, para mais novidades, siga a hashtag oficial #LBFF no Twitter.

Categorias: Destaques, Free Fire, LBFF, Série A
Tags: , , , ,