FLUXO LBFF CAMPEÃO

LBFF em números: Cada BOOYAH faz a diferença (ou não)

O único BOOYAH conquistado pelo Fluxo nas finais da LBFF 4 garantiu o título no desempate com a LOUD, que não fez nenhum. Corinthians, com três BOOYAHs nas finais, ficou longe da taça

A quarta edição da Liga Brasileira de Free Fire terminou de modo dramático. O Fluxo, equipe estreante e recheada de estrelas do circuito nacional foi a grande campeã do certame e, apesar do elenco extremamente qualificado, o trabalho foi longe de ser fácil. A equipe, não teve os melhores números das finais, mas graças a uma boa campanha na fase de grupos, que lhe garantiu nove pontos extras, a taça veio no desempate contra a LOUD, outra das boas equipes do campeonato.

Desempate esse que foi obtido graças a o único BOOYAH feito pelo Fluxo durante as finais da LBFF 4, conquistado na segunda queda em Purgatório, com oito abates, um desempenho mais condizente com o que foi feito pela equipe em toda a fase de grupos, que culminou em 11 BOOYAHs, o melhor time nesse quesito.

Imagem: Garena

Entretanto, nem mesmo os três BOOYAHs conquistados pelo Corinthians nas finais fizeram a diferença. Isso porque, como falamos acima, o Fluxo, por ter terminado a fase de grupos em segundo lugar, teve nove pontos extras para as finais, ajudando nessa pontuação final de 103 pontos, mesmo número da LOUD, que teve sete pontos extras por terminar a fase anterior em quarto lugar, mas que, nas finais, não fez nenhum BOOYAH.

No frigir dos ovos, o que fez com que o Fluxo fosse o merecido campeão da LBFF 4 foi sua regularidade durante o campeonato. Mesmo sem muitos BOOYAHs nas finais, a equipe teve uma pontuação que se, excluído o bônus, fica em 94 pontos, média de 10,4 pontos por queda — além dos 35 abates.

O pecado do Corinthians

Classificado em 12º lugar na última rodada da fase de grupos da LBFF 4, o Corinthians demonstrou a importância de se ter um desempenho mais regular durante o torneio e como isso pode fazer a diferença também nas finais. Caso tivesse feito a média de pontos vista nas 9 quedas finais, o Timão, certamente, poderia estar hoje comemorando seu segundo título nacional.

Foto: Bruno Alvares e Jéssica Liar

No desempenho bruto, o Corinthians foi a melhor equipe das finais da LBFF 4: foram 96 pontos e três BOOYAHs em nove quedas, um aproveitamento de vitórias de 33% e média de pontos de 10,6 por partida. Na fase de grupos, a média foi de 7,24 pontos por queda, bem abaixo do que vimos nas finais.

É bom lembrar que o Timão não teve nenhum ponto de bonificação por colocação na fase de grupos, diferentemente de Fluxo (9), LOUD (7) e Cruzeiro (4). Que na próxima temporada não apenas o Corinthians, mas as demais equipes, analisem esses dados e vejam que cada BOOYAH e cada queda faz a diferença no final.

Categorias: Destaques, Free Fire, LBFF, Série A
Tags: , , ,