Brasil é campeão da FFCS e fecha o ano invicto nas Américas

Além da Continental Series (FFCS), Copa América e Gigantes Free Fire também foram vencidos por equipes da Liga Brasileira.

No último sábado (28) a Team Liquid foi campeã da Free Fire Continental Series (FFCS) das Américas e trouxe o terceiro título latino-americano para o Brasil, que no início do ano faturou a Copa América com a LOUD e no meio da temporada foi campeão do Gigantes Free Fire com a RED Canids.

Em todos os campeonatos, as equipes que hoje disputam a Liga Brasileira (LBFF) entraram como favoritos pelo nível de jogo apresentado na região. As equipes do LATAM, apesar de mostrarem uma evolução, ainda não conseguiram chegar no nível do Brasil, que na FFCS teve oito representantes, sendo 4 classificados pela LBFF e outros quatro que conquistaram vaga através do Play-In, que reuniu seis times brasileiros e outros seis do LATAM – nenhum conseguiu a vaga, nem mesmo chegou perto.

A FFCS teve um diferencial dos outros torneios: as equipes treinaram juntas, ou seja, nem o nível brasileiro e nem o nível latino-americano seriam surpresas. Algumas equipes da LBFF ainda elogiaram os adversários da Free Fire League (FFL) nos treinos e chegaram a exaltar uma melhora no nível de jogo dos gringos, que em alguns treinos, de fato, surpreenderam.

Durante a transmissão da FFCS das Américas, Solotov chegou a citar a equipe da Arctic Gaming como um dos destaques nos treinos:

Eu estava prestando bastante atenção nos treinos, as equipes brasileiras iam muito bem, mas tinha uma equipe da América Latina que também jogava bem, a Arctic Gaming, do México. Eles sempre estavam chegando no Top 3, é um time que pega bastante pontos por posição. Não pegam tantos abates, porém se posicionam bem e podem dar trabalho para o Brasil hoje“, disse.

Apontada por Solotov, a Arctic Gaming decepcionou e terminou o campeonato em 8º lugar. Apesar do resultado, foi a melhor equipe da FFL com 70 pontos e 9 abates, uma pontuação bem próxima do que foi apresentada pela RED Canids, por exemplo: antes rei das Américas, o elenco liderado por Wanheda foi o sétimo melhor da FFCS com 74 pontos e 7 abates na conta.

Tabela da FFCS das Américas

No título da RED em agosto, já era clara a diferença entre os representantes de LBFF e FFL. As equipes brasileiras dominaram o Top 7 e somente a Newstar, da Argentina, conseguiu encostar, ficando na 6ª colocação. Na Copa América, no início do ano, a LOUD venceu com folga, mas o Brasil, que também teve paiN Gaming e Corinthians, que chegou como atual campeão do mundo, ficaram para trás. Na ocasião, Naguara e Infinity, da Argentina, fecharam o Top 3.

A melhora de resultado nos últimos dois campeonatos continentais mostra que o Brasil evoluiu muito e não quer perder o prestígio de melhor região do mundo. A FFCS com certeza foi um mar de experiência para os times da FFL, que voltarão mais fortes no ano que vem para reivindicar o trono das Américas. Que venham!

Categorias: Free Fire
Tags: