Coronel analisa paiN Gaming na LBFF e comenta contratação de Kayke

Técnico da paiN Gaming quer equipe mais consistente e mira em Top 12 como principal objetivo do time no momento. GH e promoção de Kayke também são assuntos.

A paiN Gaming começou bem na 3ª etapa da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) mas o desempenho decaiu. No 11º lugar com 567 pontos, a equipe Tradicional precisará tomar cuidado para manter uma boa posição e, consequentemente, garantir uma vaga nas finais.

Não tivemos o desempenho que gostaríamos, começamos bem na estreia e fomos decaindo aos poucos, a falta de constância entre as quedas custou muito na nossa campanha, mas estamos trabalhando em cima disso para voltar com todo o vapor”, disse Coronel, técnico da paiN Gaming, em entrevista ao Free Fire eSports.

Apesar de insatisfeito com o resultado da equipe, o técnico se mostrou confiante com relação ao futuro. Na C.O.P.A. Free Fire, a paiN teve um início de campeonato fraco e chegou a figurar as últimas posições na tabela. Em uma retomada histórica, o time conseguiu terminar a fase de pontos em 2º lugar e chegou muito bem nas finais. 

Precisamos voltar a ter a mesma constância que tínhamos durante a C.O.P.A. Free Fire, evitar zerar e tentar pontuar bem nas quedas. Tivemos resultados bons e boas quedas nesse último final de semana, mas algumas derrotas abaixo do Top 10 prejudicam muito na campanha como um todo”, avaliou Coronel.

Na 10ª rodada, mencionada pelo Coronel, a equipe apresentou uma melhora e se mostrou mais sincronizada em algumas das seis quedas. A evolução se deu muito pela reunião do time na mesma casa. Devido a pandemia, a paiN ainda não tinha reunido todo o seu time, o que impossibilitou um trabalho mais próximo entre comissão técnica e jogadores.

A GH ajuda muito em termos de feedback e comunicação, com certeza foi um fator diferencial e nosso time sofreu bastante durante os treinos e nas primeiras semanas da LBFF por conta disso”, comentou o técnico.

paiN busca evolução na corrida por uma vaga nas finais da LBFF (Foto: Garena)

Outra coisa que melhorou o desempenho do time nas últimas rodadas foi a chegada de Kayke, que ganhou uma oportunidade na equipe principal. O jovem de 16 anos, segundo Coronel, tem sido peça fundamental, principalmente nas trocações. 

Kayke subiu da nossa base, é um jogador que recém completou 16 anos e tem muita vontade de evoluir, ganhar e jogar. Ele é muito habilidoso e comunicativo, ainda está se adaptando com a line-up, mas é um jogador que adiciona em muitos aspectos, principalmente durante as trocações”, elogiou.

A reunião do time e a chegada de um novo jogador pode ser o que faltava para a paiN mostrar mais e almejar posições melhores na tabela. Em linhas gerais, Coronel sabe o que precisa melhor na equipe e pontuou: “O único problema que pode nos prejudicar é nós mesmos, parece clichê, mas é a realidade”. 

Não creio que existam pedras no caminho, precisamos atingir o nosso melhor nível e ajustar o individual, principalmente na hora das trocações. Assim vamos recuperar o nosso estilo e atropelar geral. O objetivo é o Top 12, queremos jogar a final e vamos 200% em busca do título”, completou.


Leia mais:

LBFF em números: GOD renasce e briga forte por vaga nas finais

General cita problemas individuais, mas projeta crescimento da GOD na LBFF

Categorias: Free Fire, LBFF, Série A
Tags: , , , , ,